A EscolaAtividadesAstrovivênciaAstrológicaPegasusCosmosAtendimento
Direção e Coordenação: Robson Papaleo      
Home
Cursos
Programação
Calendário
Central de Pesquisas
GaiaBrasilis
CBA´s
Sextas na Gaia
Pátio do Colégio
Centro Cultural
Galeria
Quem Somos
Cadastro
Como Chegar
Fale Conosco
Artigos



“Para entender o presente é preciso conhecer o passado.”
Antonio Brito  






A Astrologia Clássica é a constituição de mais ou menos dois mil anos de afirmações que foram evoluindo juntamente com o seu contexto cultural, principalmente no período entre o Helenístico tardio e o estilo de Astrologia que floresceu na Europa entre 1100 e 1700.

Uma das conseqüências do estudo da Astrologia Clássica é o conhecimento das bases do pensamento astrológico. Conforme conhecemos nossas tradições, podemos entender melhor como usar o céu visível para as chamadas predições. Entendendo que essa prática não é o único propósito desse saber.

A Astrologia Clássica pode ser dividida em duas eras principais: a Helenística Grega e a Era Medieval.

A Astrologia Grega Helenística se parece um pouco com a Astrologia Védica da Índia, embora haja diferenças importantes entre as duas, os principais nomes dessa época são: Dorotheu de Sidon (Século I D.C.) e Vettius Valens. Dessa mesma época, mas não fazendo parte da cultura grega, Claudius Ptolomeu compilou o Tetrabiblos.

Com a queda do Império Romano, a Astrologia sobreviveu no mundo oriental, especialmente no Império Bizantino.

Depois da aparição e ascensão do Islã, por volta de 900 D.C., apareceu uma Astrologia mais parecida com a nossa, provavelmente proveniente da Pérsia e que era significativamente diferente da tradição grega, principalmente no uso das orbes para os aspectos e no sistema de Casas. Esse sistema veio para a Europa na época das Cruzadas e foi sistematizado no trabalho de Ibn Ezra (século XII) e Guido Bonatti (século XIII), entre outros. 

Esse sistema atravessou os séculos, permaneceu ao longo de toda a Renascença até a Idade Moderna com poucas alterações e seus textos foram escritos em Latim Medieval. Embora existissem reformadores no Século XVII como Kepler, foi somente por volta dos anos 1700 que a tradição astrológica foi seriamente rompida e deixou de ser popular.

Antônio Brito é psicólogo, astrólogo e professor da Gaia Escola de Astrologia. É um dos autores do CBA • Cadernos Brasileiros de Astrologia nº 14, com o tema de "Astrologia Horária • Respostas imediatas a dúvidas do dia a dia" , lançado em março de 2008.

É proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma ou por qualquer meio, sem permissão dos autores e editores. A violação dos direitos do autor (lei nº 9610/98) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.



voltar




© 2017 - Gaia Escola de Astrologia
Unidade SP - Rua Frei Eusébio da Soledade 74 - Vila Mariana - Cep: 04106-030 - São Paulo, SP - Tel: (11) 5084-3256